Mercado de câmbio: guia rápido para assessores de investimento

Descubra como funciona o mercado de câmbio, os tipos de regimes cambiais e os principais investimentos relacionados. Aproveite as flutuações das taxas de câmbio para potencializar seus investimentos. Leia mais!

Escrito por

Compartilhe:

Real, dólar, euro, iene… essas são apenas quatro entre as cerca de 180 moedas que estão em vigor atualmente no mundo, e a vida em uma sociedade cada vez mais globalizada, especialmente no que tange aos investimentos financeiros, implica, muitas vezes, em operações que envolvam mais de uma delas.

Esse tipo de operação ocorre no mercado de câmbio, o sistema por meio do qual ocorrem as negociações entre moedas diferentes. Leia o artigo para entender:

  • como funciona o mercado de câmbio;
  • quais são os tipos de regimes cambiais;
  • quais são os principais investimentos relacionados ao mercado de câmbio.

Como funciona o mercado de câmbio

O mercado de câmbio desempenha um papel fundamental na facilitação do comércio internacional e na transferência de valores entre países que utilizam diferentes moedas. Chamamos a moeda de outro país de divisa.

Sua natureza é descentralizada, ou seja não há uma bolsa específica em que as transações ocorrem. Ao invés disso, a negociação é realizada eletronicamente e dispersa nos vários centros financeiros ao redor do mundo. Os principais são os de Nova York, de Londres, de Tóquio e de Hong Kong.

Esse aspecto da descentralização faz com que o mercado de câmbio esteja aberto 24 horas por dia, exceto aos finais de semana.

Os principais participantes do mercado de câmbio são:

  • Bancos Centrais;
  • instituições financeiras;
  • investidores institucionais;
  • corporações multinacionais;
  • fundos de hedge.

Cada um desses participantes desempenha um papel específico no mercado, contribuindo para a oferta e a demanda de moedas.

A taxa de câmbio se refere, simplesmente, ao preço de uma moeda estrangeira, de uma divisa.  Ela é influenciada, sobretudo, por uma série de fatores técnicos, como inflação, taxa de juros e crescimento do PIB.

Além da compra e venda direta de divisas, existem instrumentos derivativos no mercado cambial, como o mercado futuro e o mercado de opções. Eles permitem que os investidores especulem sobre as flutuações das taxas de câmbio, bem como se protegerem do risco cambial.

Quais são os tipos de regimes cambiais?

O regime cambial é o conjunto de regras, políticas e mecanismos adotados por um país para determinar o valor de sua moeda em relação às estrangeiras. Conheça os principais tipos:

Câmbio fixo

Neste regime, a taxa de câmbio é fixada em relação a uma moeda específica, como o dólar dos Estados Unidos ou o euro. Para isso, portanto, o Banco Central do país se compromete a intervir no mercado cambial, comprando ou vendendo sua moeda para mantê-la fixa.

Câmbio flutuante

No regime flutuante, as forças de oferta e demanda do mercado cambial determinam a taxa de câmbio. Neste caso, o valor da moeda varia de acordo com os fluxos de capital, o comércio internacional e outros fatores econômicos, e o Banco Central não intervém ativamente para estabilizar a taxa, permitindo a flutuação livre.

Flutuação Suja (Dirty Float)

No regime de flutuação suja, as taxas de câmbio estão suscetíveis a alterações diárias por parte do Banco Central, principalmente para evitar oscilações bruscas que prejudiquem a economia e os objetivos da política econômica. É o regime mais usado no mundo atualmente.

Mercado de câmbio: diferentes regimes cambiais

Quais são os principais investimentos relacionados ao mercado de câmbio?

Falando mais especificamente sobre investimentos, existem vários deles relacionados ao mercado de câmbio. Isso permite aos investidores aproveitarem as flutuações das taxas de câmbio para potencializarem o seu dinheiro. Os três principais tipos de operações são:

ETFs

ETFs (Exchange Traded Funds), ou Fundos de Índice, são fundos negociados em bolsa. Portanto, eles refletem as variações na rentabilidade de índices de moedas, cujas carteiras são compostas por ativos ou derivativos do mercado cambial.

Com ETFs de moeda é possível investir no mercado de câmbio com pouco e a partir de uma cota.

📰 Leia também:

O que é e como investir em ETFs?

Fundos cambiais

Os fundos cambiais são veículos de investimento que permitem aos investidores obter exposição às flutuações das taxas de câmbio. Portanto, profissionais especializados na área gerenciam tais fundos, e seu objetivo é gerar retorno com base nas variações das moedas estrangeiras em relação à moeda de referência.

Desse modo, propor ao cliente a aplicação em fundos cambiais é uma boa forma de promover a diversificação de investimentos e, com isso, tanto reduzir a exposição a riscos específicos do mercado doméstico quanto se beneficiar das oportunidades valiosas em outras economias.

Minicontratos

Os minicontratos de câmbio, por fim, são instrumentos financeiros derivativos que permitem aos investidores negociar e especular em cima das variações de taxa de câmbio. Como o nome sugere, esses contratos têm tamanho reduzido em comparação com os contratos tradicionais de câmbio, o que os tornam mais acessíveis a investidores individuais.

📰 Leia mais:

Agora que você já entendeu como funciona o mercado de câmbio, leia também o nosso artigo sobre estratégias de investimento de um assessor de sucesso para garantir seus bons resultados e o destaque na profissão.

Veja mais

Aprenda a contornar objeções em assessoria financeira. Descubra estratégias eficientes para lidar com clientes, prospects e leads. Alcance a alta performance com o MELVER Pro.
Aprenda a fazer prospecção ativa na assessoria financeira. Encontre leads qualificados e conduza-os pela jornada de vendas. Conheça as melhores estratégias com o MELVER Pro.
Conheça técnicas eficazes para captar clientes na assessoria financeira. Descubra como abordar, engajar e converter leads em clientes satisfeitos. Aperfeiçoe suas habilidades com o MELVER Pro.