Guia Completo sobre Sistemas de Amortização Financeira

Neste artigo, abordamos os sistemas de amortização, explicando seus fundamentos e tipos, como SAC, Tabela Price e SAM. Detalhamos cada um, destacando características e implicações práticas para ajudar na escolha ideal de acordo com objetivos financeiros.

Escrito por

Compartilhe:

Amortização é um termo frequente no universo financeiro, essencial para quem lida com empréstimos e financiamentos. Na sua essência, a amortização representa o processo de pagamento gradual de uma dívida. Este conceito se aplica tanto a empréstimos pessoais quanto a financiamentos maiores, como os imobiliários. Compreender os sistemas de amortização é crucial, pois eles influenciam diretamente o valor das parcelas e o custo total do crédito.

Existem diferentes sistemas de amortização, cada um com suas particularidades e implicações. Por exemplo, o Sistema de Amortização Constante (SAC) e a Tabela Price são dois dos mais comuns no Brasil. Enquanto o SAC caracteriza-se por parcelas decrescentes, a Tabela Price mantém parcelas fixas ao longo do tempo. Essas diferenças afetam o orçamento e a estratégia financeira do indivíduo ao longo dos anos.

Além disso, entender os sistemas de amortização ajuda na tomada de decisões mais informadas sobre empréstimos e financiamentos. Cada sistema tem um impacto distinto no custo total do crédito e na duração do pagamento da dívida. Portanto, escolher o sistema de amortização mais adequado pode significar economia e maior controle financeiro.

Neste artigo, exploraremos os diferentes sistemas de amortização, detalhando como cada um funciona e suas implicações na vida financeira. Analisaremos também as vantagens e desvantagens de cada sistema, fornecendo informações valiosas para que você possa fazer escolhas financeiras mais acertadas. Seja para financiar uma casa, ou um carro, entender os sistemas de amortização é um passo fundamental para uma gestão financeira eficiente.

Fundamentos dos sistemas de amortização

Introdução aos sistemas de amortizaçãoOs sistemas de amortização são estruturas financeiras que definem como ocorre o pagamento de uma dívida ao longo do tempo. Eles estabelecem a forma como as parcelas de um empréstimo ou financiamento se distribuem entre o pagamento do principal e dos juros. Esse entendimento é crucial, pois impacta diretamente no valor total pago e no período de quitação da dívida.

O principal objetivo de um sistema de amortização é permitir que o devedor gerencie sua dívida de maneira eficiente. Isso acontece por meio do pagamento gradual do valor principal, combinado com os juros sobre o saldo devedor. Cada sistema de amortização possui uma metodologia própria, influenciando a maneira de calcular as parcelas a pagar.

Por exemplo, em sistemas onde a amortização é constante, o valor principal da dívida diminui de forma uniforme a cada parcela. Consequentemente, os juros, calculados sobre o saldo devedor restante, reduzem ao longo do tempo. Isso resulta em parcelas decrescentes, aliviando o orçamento do devedor à medida que o cliente quita a dívida.

Por outro lado, em sistemas onde a amortização ocorre por meio de parcelas fixas, o valor dos juros e do principal varia em cada pagamento. Inicialmente, uma maior parte da parcela é destinada aos juros, com o valor principal sendo mais significativamente reduzido nas parcelas finais. Esse modelo oferece previsibilidade ao devedor, que sabe exatamente o valor a ser pago mensalmente.

📰 Saiba mais:

Conheça o Pix saque e o Pix troco

O que é renda fixa? Confira este guia!

Conheça a Tabela Price: o sistema francês de amortização

Tipos de sistemas de amortização

tipos de sistema de amortizaçãoExistem diversos sistemas de amortização, cada um com características específicas que influenciam a forma como um empréstimo é pago. Os mais comuns são o Sistema de Amortização Constante (SAC), a Tabela Price e o Sistema de Amortização Misto (SAM).

Sistema de Amortização Constante (SAC)

No SAC, a amortização do principal é constante, o que significa que o valor pago ao principal é o mesmo em todas as parcelas. Consequentemente, as parcelas são decrescentes, pois os juros, calculados sobre o saldo devedor, diminuem com o tempo. Este sistema é vantajoso para quem prefere uma redução gradual do valor das parcelas.

Por exemplo, usando o SAC em um financiamento imobiliário, como aqueles oferecidos pela Caixa Econômica Federal, as parcelas começam mais altas e vão diminuindo com os pagamentos.

Tabela Price

Diferentemente do SAC, a Tabela Price caracteriza-se por parcelas fixas. Aqui, a proporção entre juros e principal varia ao longo do tempo. Inicialmente, paga-se mais juros e menos principal, invertendo-se essa proporção à medida que o tempo avança. Esse sistema é ideal para quem busca previsibilidade nas parcelas.

Esse tipo de sistema é o mais utilizado no financiamento de automóveis. Aqui, paga-se até 72 parcelas fixas, dando ou não uma entrada.

Sistema de Amortização Misto (SAM)

O SAM combina características do SAC e da Tabela Price. Neste sistema, parte das parcelas é calculada pelo método SAC e outra parte pela Tabela Price. Isso resulta em um equilíbrio entre parcelas decrescentes e fixas, oferecendo uma opção intermediária entre os dois sistemas.

Nele, aquele que contraiu o empréstimo ou financiamento de um bem paga mensalmente (ou anualmente, a depender do caso) apenas o valor dos juros. Apenas na última parcela é que ele arcará com o valor financiado. É o ideal para aqueles que não têm recursos imediatos, mas que esperam um fluxo de caixa significativo ao final do período.

Concluindo…

Cada sistema de amortização tem suas particularidades e se adapta a diferentes necessidades e perfis financeiros. A escolha do sistema mais adequado depende de fatores como capacidade de pagamento, planejamento financeiro e objetivos pessoais.

Cabe à instituição que está ofertando os recursos descrever todas as características de cada um e simular os valores. Assim, o credor terá total possibilidade de entendê-los e optar pela melhorar escolha.

📰 Saiba mais:

O Sistema de Pagamentos Brasileiro: Uma Visão Geral

Certificação CEA: confira dicas de como obtê-la

Continue com a gente. Continue com a MELVER!

Veja mais

Neste artigo, mostramos um passo a passo para você acessar o site do Bacen e consultar as taxas de juros praticadas pelas instituições financeiras em seus mais diversos segmentos, do rotativo do cartão de crédito até o financiamento imobiliário.
Aprenda a contornar objeções em assessoria financeira. Descubra estratégias eficientes para lidar com clientes, prospects e leads. Alcance a alta performance com o MELVER Pro.
Aprenda a fazer prospecção ativa na assessoria financeira. Encontre leads qualificados e conduza-os pela jornada de vendas. Conheça as melhores estratégias com o MELVER Pro.