LCA ou CRA? Você conhece as diferenças?

LCA e CRA são títulos de renda fixa direcionados ao agronegócio. Embora financiem esse setor, os dois títulos apresentam diferenças importantes que incluem objetivo, garantia, rentabilidade e público-alvo. Saiba mais neste artigo.

Escrito por

Compartilhe:

Está em dúvida entre LCA ou CRA? Não conhece bem a diferença entre as duas para tomar uma decisão? Sem problemas. Neste artigo você saberá: 

  • O que é LCA? 
  • O que é CRA? 
  • Diferenças entre LCA e CRA: Objetivo 
  • Diferenças entre LCA e CRA: Garantia 
  • Diferenças entre LCA e CRA: Rentabilidade 
  • Diferenças entre LCA e CRA: Público-alvo 
  • Diferenças entre LCA e CRA: risco e FGC 

O que é LCA?

O LCA (Letra de Crédito do Agronegócio) é um título de renda fixa emitido por instituições financeiras. Seu principal o objetivo é captar recursos para financiar o setor agrícola. Além disso, ela se destaca por oferecer segurança e rentabilidade aos investidores. 

De certa forma, ao adquirir um LCA, você está emprestando dinheiro para o agronegócio. Portanto, isso ajuda a fomentar atividades como a produção de alimentos, a criação de animais e a agricultura em geral. Em contrapartida, você recebe remuneração sobre o valor investido. 

Uma das principais características do LCA é sua garantia. O ativo possui a garantia do próprio agronegócio, ou seja, os recursos arrecadados são utilizados para financiar operações relacionadas a esse setor. Isso traz uma camada adicional de segurança ao investimento. 

Além disso, o LCA oferece vantagens fiscais. Primeiramente, para pessoas físicas, os rendimentos são isentos de Imposto de Renda e IOF, o que potencializa a rentabilidade líquida obtida. Em segundo lugar, para pessoas jurídicas, os rendimentos estão sujeitos à tributação. 

Outro ponto relevante é a liquidez. As LCAs geralmente possuem prazos de vencimento pré-estabelecidos, com no mínimo para 90 dias. Ou seja, você precisa aguardar até a data de resgate para obter o montante investido acrescido dos rendimentos. Desse modo, apenas após o prazo mínimo os investidores poderão fazer resgates. 

O que é CRA?

O CRA (Certificado de Recebíveis do Agronegócio), por sua vez, é um título de renda fixa emitido por securitizadoras. Ou seja, seu objetivo também é viabilizar a obtenção de recursos para o agronegócio. Mas, diferentemente do LCA, o CRA tem como base os recebíveis originados de negócios do setor. 

Sendo assim, ao investir em um CRA, você está adquirindo direitos sobre os créditos provenientes de operações agrícolas. Esses créditos podem nascer de contratos de financiamento, venda de produtos, arrendamentos rurais, entre outros. 

Uma característica importante do CRA é que ele é uma forma de securitização dos recebíveis do agronegócio. Isso significa que os recebíveis são reunidos em uma estrutura específica, transformados em títulos e oferecidos aos investidores. 

Em termos de garantia, o CRA possui como lastro os recebíveis do agronegócio, o que proporciona uma segurança adicional aos investidores. Os fluxos de pagamentos gerados pelas operações do agronegócio são a base para a remuneração dos titulares dos CRAs. 

Já quanto à rentabilidade, os CRAs costumam apresentar taxas de juros fixas mais a variação de um índice, como o IPCA. Isso pode proporcionar uma rentabilidade atrativa, principalmente para investidores que buscam proteção contra a inflação. 

Tal como as LCAs, os CRAs também possuem isenção de IR e IOF para pessoas físicas. 

Diferenças entre LCA e CRA: Objetivo

Embora o LCA e o CRA sejam investimentos para financiar o agronegócio, eles possuem objetivos distintos. A LCA tem como objetivo principal captar recursos para financiar diretamente as atividades do setor agrícola, contribuindo para o seu desenvolvimento e sustentabilidade. 

Por sua vez, o CRA tem como finalidade viabilizar a obtenção de recursos para empresas do agronegócio por meio da securitização dos recebíveis. Dessa forma, o CRA permite a antecipação de receitas futuras e a liberação de capital para investimentos. 

Enquanto a LCA está mais relacionada ao financiamento do agronegócio diretamente, o CRA está focado na estruturação de operações que envolvem recebíveis de negócios agrícolas. 

Essa diferença de objetivo impacta diretamente as características dos investimentos. O LCA é uma opção mais ampla, aberta a diferentes perfis de investidores, desde os mais conservadores até os mais arrojados. Já o CRA é mais indicado para investidores com maior apetite ao risco e conhecimento específico sobre securitização de recebíveis. 

Diferenças entre LCA e CRA: Garantia

Uma das diferenças mais relevantes entre LCA e CRA está relacionada às garantias oferecidas por esses investimentos. 

No caso da LCA, a garantia está ligada diretamente às operações do agronegócio. Do mesmo modo, os recursos captados por meio do LCA são destinados a financiar atividades como produção agrícola, pecuária e agroindústria. Assim, a própria operação agrícola é a base para a garantia do título. 

Já o CRA possui uma garantia específica baseada nos recebíveis do agronegócio. Portanto, esses recebíveis podem incluir contratos de financiamento, contratos de compra e venda de produtos agrícolas, entre outros. Os fluxos de pagamentos dessas operações são a garantia para os investidores detentores de CRAs. 

A diferença nas garantias afeta diretamente o risco e o retorno dos investimentos. Enquanto LCAs apresenta uma garantia mais direta e vinculada ao agronegócio como um todo, CRAs possuem garantia mais específica, vinculada aos recebíveis das operações agrícolas. 

Diferenças entre LCA e CRA: Rentabilidade

A rentabilidade é outro aspecto importante que o investidor deve considerar ao comparar LCA e CRA como opções de investimento no agronegócio. 

No caso do LCA, a rentabilidade pode ser pré-fixada ou pós-fixada. Desse modo, nas opções pré-fixadas, o investidor sabe exatamente qual será a taxa de juros que irá receber durante o período de investimento. Já nas opções pós-fixadas, a remuneração está atrelada a um índice de referência, como o CDI. 

O CRA, por sua vez, costuma ser pós fixado ou híbrido, com poucas opções prefixadas. Quando pós fixado, se mostra atrelado ao CDI. Já quando híbrido, oferece rentabilidade baseada em uma taxa de juros fixa mais a variação do IPCA. Dessa forma, essa combinação busca proporcionar um retorno que acompanhe a inflação ou ofereça uma proteção contra a variação de preços ao longo do tempo. 

É importante ressaltar que a rentabilidade dos investimentos está diretamente relacionada ao risco assumido. Geralmente, os CRAs oferecem uma rentabilidade potencialmente maior em comparação aos LCAs, refletindo o perfil mais arrojado desse tipo de investimento. 

📰 Saiba mais:

O que é renda fixa?

Renda Fixa x Renda Variável: Equilibrando seus Investimentos

Diferenças entre LCA e CRA: Público-alvo

Ainda, o público-alvo para investimentos em LCA e CRA também apresenta diferenças significativas. Essas diferenças advêm das características e ao perfil de cada tipo de investimento. 

O LCA é mais acessível e atrativo para investidores com menor capital inicial. É possível encontrar LCAs com valores mínimos de investimento relativamente baixos. Além disso, é uma opção interessante para investidores mais conservadores que buscam segurança. 

Já o CRA é direcionado a investidores com perfil mais arrojado e maior capacidade financeira, já que não apresenta garantia do FGC. Ele exige um capital inicial mais expressivo e é voltado para quem busca diversificar sua carteira de investimentos. Investidores com conhecimento sobre o mercado de securitização e maior tolerância ao risco tendem a ser o público-alvo do CRA. 

Diferenças entre LCA e CRA: risco FGC

A garantia do Fundo Garantidor de Créditos é um dos fatores de maior relevância na escolha de títulos de renda fixa. Aqui, LCA e CRA apresentam diferenças importantes. 

As LCAs são títulos emitidos por bancos. Como os bancos são instituições que fazem parte do FGC, suas emissões (como o LCA) são garantidas pelo fundo. No caso das LCAs, aportes de até R$ 250 mil por CPF serão ressarcidos em caso de quebra da instituição emissora. 

Para o CRA a situação é bem diferente. CRAs são emitidos por companhias securitizadoras, que não são instituições financeiras. Portanto, securitizadoras não fazem parte do Fundo Garantidor de Créditos. Dessa forma, os títulos que elas emitem (CRAs) não é garantido pelo fundo. 

Como resultado, é possível afirmar, com toda certeza, que CRAs possuem maior risco de crédito (calote) do que as LCAs. Isso é um fator, inclusive, refletido na remuneração exigida por esse título (que tende a ser maior). 

Esperamos que com essas informações você consiga tomar uma decisão melhor entre LCA e CRA, ou mesmo ambos. 

📰 Saiba mais:

CRI E CRA – Como nascem, para que servem e como investir

Continue com a gente. Continue com a MELVER! 

Veja mais

Aprenda a contornar objeções em assessoria financeira. Descubra estratégias eficientes para lidar com clientes, prospects e leads. Alcance a alta performance com o MELVER Pro.
Aprenda a fazer prospecção ativa na assessoria financeira. Encontre leads qualificados e conduza-os pela jornada de vendas. Conheça as melhores estratégias com o MELVER Pro.
Conheça técnicas eficazes para captar clientes na assessoria financeira. Descubra como abordar, engajar e converter leads em clientes satisfeitos. Aperfeiçoe suas habilidades com o MELVER Pro.